Alguém já disse que há cinco bons motivos pelos quais os operadores não executam bem o seu trabalho.

São eles:
1-) ELES NÃO SABEM O QUE FAZER
( Falta de Comunicação)

2-) ELES NÃO SABEM COMO FAZER
( Falta de Treinamento)

3-) ELES NÃO FARIAM MESMO QUE SUAS VIDAS DEPENDESSEM DISSO
( Uma questão de Capacidade Natural de cada um)

4-) ELES NÃO CONSEGUEM FAZER
( Uma questão de Organização)

5-) ELES NÃO QUEREM FAZER
( Falta Motivação)

O foco deste artigo é no segundo item : TREINAMENTO

As etapas de treinamento de Operadores de Extrusoras podem ser divididas assim:

1-)REVISÃO GERAL DETALHADA DO PROCESSO GERAL

2-)VARIÁVEIS DEPENDENTES E INDEPENDENTES DO PROCESSO

3-)OS EQUIPAMENTOS E A SUA MANUTENÇÃO

4-)TÉCNICAS DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DURANTE A EXTRUSÃO

Não é nosso objetivo aqui descrever um curso completo de treinamento de Operadores.

Vamos apenas abordar de forma compacta os principais itens de cada um dos pontos acima , indicar alguns pontos de reflexão , e no final fornecer para vocês um modelo de avaliação de competências – se puderem investir algum tempo aplicando essa avaliação de maneira formal nos seus operadores , vocês mesmo poderão decidir se a sua EQUIPE merece mais treinamentos , ou não……

Vamos lá:

ETAPA 1 – REVISÃO DETALHADA DO PROCESSO GERAL

Áreas Chaves:

• As materias primas-
• A configuração do extruder e demais equipamentos
• As condições do processo
• As características do produto acabado

Sobre as matérias-primas :
A fórmula tem um tremendo impacto na textura do produto final , na uniformidade , capacidade de expansão , qualidade nutricional , viabilidade economica , alem da capacidade de absorção de óleos , palatabilizantes e gorduras na operação de
recobrimento ( coating) do processo.

A pergunta : Seus operadores sabem pelo menos como fazer uma avaliação básica de uma formula , prever o que vai acontecer durante a extrusão , ou explicar em termos simples porque não conseguiu os resultados esperados com aquela receita?

Ou então os Operadores simplesmente relatam : “ Chefia , essa formula num vai não….!!” ????

Com relação à configuração do equipamento :

A escolha da configuração das pás do condicionador e das roscas da extrusora é extremamente crítica para o sucesso da operação da extrusão.

Supondo que a sua extrusora foi configurada adequadamente para o conjunto dos produtos finais da sua empresa, , a sua máquina precisa ser bem mantida quanto ao desgaste, e isso inclui as lubrificações diárias e trocas de óleo quando requeridas.

O conhecimento de quais são as peças de desgaste , e a sua vida útil , evitará paradas de produção que poderão custar muito caro à empresa , tanto pela perda de vendas como a perda de Clientes pela insatisfação do serviço.

A pergunta : Todos os seu operadores sabem ( p/ ex) qual é a folga máxima permitida entre a camisa e a rosca da sua máquina especificamente? A sua Equipe de Supervisão mantem o controle de horas trabalhadas de cada peça de desgaste da extrusora , e as datas em que foram substituídas?

Ou então simplesmente o Operador relata: “ Ô Chefia – a maquina hoje não quer nada não…. o produto tá voltando tudo pra trás / ( ou) Tá variando !! “ ????

Sobre as condições do Processo: ( Variáveis Independentes)

• Fluxo do material seco em Kg/ hora e a sua granulometria
• Fluxo de agua no condicionador em kg/ hora
• fluxo de vapor no condicionador
• Fluxo de aditivos ou “ carne fresca slurry” no condicionador-kg/ hora
• Velocidade do condicionador – rpm

Quando as variáveis independentes acima são ajustadas , elas vão impactar uma ou mais variáveis dependentes abaixo:

• Teor de umidade %
• Temperatura °C
• Tempo de retenção – minutos

Mudanças nas variáveis independentes e dependentes irão impactar o resultado do produto final , principalmente no grau de gelatinização dos amidos e a correspondente expansão do produto , densidade , formato, tamanho e cor…. e palatabilidade .

A pergunta :Todos os seus operadores sabem como operar com as variáveis independentes acima de modo a obter o melhor resultado ?
Eles controlam ( p/ ex) o fluxo de produtos falando em kg / hora ao invés de citar “ “ a máquina está com 40 Hertz”” ????

No próximo número da revista falaremos mais sobre VARIÁVEIS DEPENDENTES E VARIÁVEIS INDEPENTES, configuração do barramento do extruder , configuração de matrizes, Manutenção de equipamentos e resolução de problemas durante o
processo de extrusão ( Trouble shooting) .

Por enquanto , fiquem com um modelo de Avaliação de Competência do Operador de extrusora – não pretendemos que ele seja completo , mas se você aplicar essa avaliação de forma consciente e metódica em pelo menos um dos seus operadores , poderá ter uma ideia de como anda o seu modelo de treinamento de pessoal….- e se precisa ou não fazer alguma coisa a respeito…..

SUCESSO !!

DOWNLOAD – SUMÁRIO – AVALIAÇÃO DE COMPETÊNCIA

 

CONTATO

Rua Napoleão Fares, 850 – Vale das Graças
Campinas – SP
CEP:13085-760

Telefone: (19) 3287-55547
Celular WhatsApp: (19) 99711-4738

E-mail: contato@raizerconsultoria.com.br

Skype: fernandoraizer1

FACEBOOK

Copyright © 2017 Raizer Consultoria – Todos os direitos reservados